quinta-feira, julho 20, 2006

Deus, Bia e eu


Amigos, tanta emoção não cabe no peito, é preciso soltar e cantar. É o que faz a Bia Bedran, e tive a honra e alegria de compartilhar com ela os momentos marcantes do lançamento do novo livro DEUS... - editado pela Nova Fronteira.
Em breve escreverei mais, pois foi realmente incrível. A linda foto é do Maurício Ribeiro, o produtor.

terça-feira, maio 02, 2006

Para breve: O Livro do Cavaleiro



Terminei o projeto de meu novo livro.
Especialmente dedicado aos futuros "cavaleiros (e paladinas!) andantes" que em pleno século 21 se encantam pelos ideais (eternos) da justiça, bravura e gentileza. Esses meninos e meninas que não temem subir no corcel alado dos sonhos, vestir a armadura da fantasia, e brandir a espada mágica da criatividade.
Para assinar texto e imagens, trouxe de volta um velho amigo dos tempos de faculdade, o Frei Lir.

segunda-feira, março 27, 2006

Free dungeon floor: The Tomb




I'll be posting some dungeon floors for you to use in your RPG. You may use and copy at will, but don't forget to inform my name as the author, and my homepage and homepage of my publishing house.

That is:

Author:
Thais Linhares (Lir)

Websites:
www.adler-books.com.br/thais
www.adler-books.com.br

Salao FNLJ do Livro para Criancas e Jovens










sexta-feira, março 24, 2006

O que dizem os leitores de Vovo Dragao

Se você já leu o meu livro "Vovó Dragão", mande uma mensagem para mim com suas impressões! Vou adorar saber se a história lhe agradou, tocou, ou até mesmo se há alguma crítica, à forma como lidei com o tema. Abaixo selecionei algumas mensagens com o que já me disseram. Desde já agradeço sua gentileza e atenção.

******

Oi, Thaís,
que os meninos dengosos estejam bem por aí.

Tô escrevendo rapidinho para contar que consegui encontrar seu livro no estande da Nova Fronteira. Que lindo! E dentro que felizes encontros... Um, eu falando de Lobato, e você me escondendo a Emília em água-forte... Dois, sinto falta de livros que trabalhem em linguagem afetiva dentro da produção atual, sem ranços "transversais" ;-) para escolas... (como sou conselheiro do Viva e Deixe Viver, a mó dificuldade é encontrar textos que sirvam às carências das crianças hospitalizadas)... Três, vai me alimentar uma idéia sobre intertextualidade como forma de conhecimento já adquirido por uma consciência literária, não apenas como alusão ou paródia. E, além de tudo, é uma narrativa redonda, delicada e deliciosa de ler.

Beijo grande!

Peter O'Sagae (http://www.dobrasdaleitura.com/)

------------------------------------------------------------------------------------

On Dec 3, 2005, at 2:25 PM, Gabriel Lacerda wrote:

Thaís,

Já comprei - e adorei - sua Vovó Dragão.

Simples, com um tom em doce de poesia. E com uma idéia gostosa de continuidade.

Agora quero seu autógrafo.

Você vai à reunião da AEILIJ 3a. feira?

Beijos

Gabriel (Gabriel Lacerda, escritor e assessor jurídico da AEILIJ)

-------------------------------------------------------------------------

On Dec 6, 2005, at 1:36 PM, tgodoy wrote:

Recebi o livro hoje, 06/12/2005, amei. Continue a escrever, e desenhar, ficou simples, coloquial e fala para criança que existe na gente. Dá saudade do tempo que era princesa e as vovós contavam histórias. Sempre soube que você era artista... Vai fundo um abração da sua Dinda.

Beijos no Breno, no Ian e no Sandro, e um especial para você ! Mais uma vez, Parabéns !

(Tatiana Godoy, analista de sistemas e dinda, de Belo Horizonte)

---------------------------------------------------------

Oi Thais:


Essa mensagem é pra te dizer que o livro e a caricatura têm feito o maior sucesso na minha família!

Parabéns!

Beijos,

Silvia (Silvia Leitão, editora da Record/Nova Era)

-------------------------------------------

Prezada senhora Thais Linhares,

Nesse breve contato, quero transmitir-lhe meus sinceros cumprimentos pelo
lançamento do seu livro - "Vovó Dragão". (...) Entrei no seu site e vi, ao menos
em parte, a sua criatividade e um pouco de sua história como ilustradora,
artista gráfica e produtora de literatura infantil. Imagino que seu coração
deve estar exultante ao ver Vovó Dragão tornar-se realidade no universo de
sua arte. Aplaudo seu esforço, sua persistência e seu talento. Abençoada
seja e continue em frente. Nós, crianças de todas as idades, precisamos de
pessoas com a sua sensibilidade nesse mundo aprendiz de amor e de humor.

Um beijo carinhoso, com votos de muito sucesso.

Vera Pinheiro
Assessora
Vice-Presidência da República

------------------------------------------------------------

From: "marguinha"
Date: September 15, 2005 1:30:47 PM GMT-03:00

Olá Thais
Que trabalho interessante, adorei.
Coloque a data e horário que estará lá no MAM. (...)
Parabéns.

Bjs Marguinha (paganista, wiccan)
Flog: http://www.valeflog.com.br/marguinha
flog2: http://www.valeflog.com.br/meucaminho

-----------------------------------------

Da ilustradora Sandra Ronca:

Thais, como já disse em outra ocasião, Amei o livro. Adoro tuas ilustrações e... as cores da capa tem cor de Bala Soft!
Beijos e Sucesso!
Sandra Ronca

Premio Viva Leitura

Abertas as inscrições para o maior prêmio do mundo ibero-americano para as melhores ações de fomento às práticas sociais de leitura no Brasil. As bibliotecas, escolas, universidades, movimentos da sociedade civil, órgãos públicos, ONGs e voluntários que sempre valorizaram a importância da leitura agora vão ser reconhecidos.

Vovo Dragao no Armazoom!



O lançamento oficial de meu livro (texto e imagem) "Vovó Dragão" na Armazoon (da Armazém Digital), no Botafogo Praia Shopping. Além de serem recebidos pela autora (eu) vestida de fada (!!!) quem levasse a vovó (ou vovô) ganhava uma caricatura da dupla! Foram dezenas de príncipes, fadas, princesas e cavaleiros de todas as gerações!
Quem se interessar em levar a brincadeira para sua escola, clube, ou cidade, dê um alô, e podemos planejar algo bem divertido!



Eu, asinhas translúcidas assinando e desenhando para o designer Laércio Lourenço (o famoso "Pai Lalá").

quinta-feira, março 23, 2006

Vovó Dragão



Esta é a verdadeira Vovó Dragão! Minha vó Mary, hoje com 93 anos, uma leitora compulsiva! Educada em Camelot, férias em Sherwood. Deliciosa autora de muitos waffles e marshmallows. Fã sobretudo dos livros de mistério e espionagem (ela leu TODOS) e, nestes tempos modernos, acompanha pela tv os seriados – que ela grava para que eu possa me divertir com as aventuras do Monk, do detetive Gore, do Grinsom, et cetera.

1ª Bienal do Livro Infanto-Juvenil de NOVA IGUACU

De 8 a 16 de outubro, aconteceu a 1ª Bienal do Livro Infanto-Juvenil de Nova Iguaçu. Parabéns para a prefeitura, em especial para Maria Antônia, a secretária da cultura – que se empenhou em organizar o salão, junto com a FNLIJ, e que está estruturando o município para supri-lo com bibliotecas e ações de ensino e incentivo a leitura, arte de texto e ilustração.

Estivemos lá! Luciana apresentou o "Operações Resgate em Bargá".
Aqui a Sherazade que desenhei para "ilustrar" a apresentação:



Em seguida foi a vez de eu apresentar meu livro o "Vovó Dragão" e aproveitei para vestir um pouco a pele de contadora de histórias.
Narrei para a garotada "O Gigante Egoísta" de Oscar Wilde (um dos autores que homenageei em "Vovó Dragão").  Foi um bocado divertido ver a criançada de olhão arregalado, prestando uma baita atenção na fúria do gigante que não deixava ninguém brincar em seu jardim.

(Glória, glória, blá,blá,blá, amem...)


Nos outros dias fiquei no estande. Agradeço muito o valioso auxílio de Gisele da Galeria do SESC de Nova Iguaçu, que prontamente me orientou e indicou o excelente Neto para trabalhar em nosso estande.
Nosso? Sim, de todos nós, autores de LIJ (mais uma vez destacando que "autores" se refere igualmente a escritores e ilustradores). O estande da AEILIJ – a Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil.
Este foi montado pelo trio Neto, Maurício Veneza e eu. Renovamos a antiga mostra de ilustrações, substituindo a colagem de cópias reprográficas por ampliações em papel fotográfico e tamanho padronizado. Ainda uma solução modesta, mas, um passo a frente já nos coloca mais perto, não é mesmo?
A sinalização e cores dominantes também padronizadas, renderam elogios de quem vivitou o estande. Lá, apresentamos para o público, como já é de costume, portfolios com as biografias e estantes com livros, de nossos associados. Além de uma caixa super colorida para doação dos livros que reservamos sempre para uma biblioteca popular. Desta vez ficaram para a biblioteca do próprio SESC, ponto de referência de cultura, esporte, e atendimento médico na comunidade local. Aliás, a qualidade e eficiência do SESC são padrão internacional.

(Se você não cortar as unhas do pé eles ficarão assim!)


Precisamos agradecer mais uma vez à FNLIJ, sem o apoio dela, não teríamos este espaço, sempre tão privilegiado, para receber autores, editores e, principalmente, futuros autores!
Olha eles aí na foto!

(Ei, quem foi que grudou aquilo no teto?)

("Aí você pega três tomates e...")



E eu que não parava de falar... Espero não ter assustado ninguém e ter sido um algo de útil.

terça-feira, março 21, 2006

La Llorona


The weeping women of the river... a well known ghost of Mexico and Puerto Rico.

The White Lady Ghost



That's for a book about spooky creatures in the Americas.
The white lady is actually a good omen in Brazil.

RPG Convention Poster


Acrilics, design and illustration by Lir.
A giant and a sucubus demon.

Dia das Criancas com Livros no Paissandu

Uma idéia maravilhosa! O Clube Paissandu, por iniciativa da designer Juliana de Castilho Paiva , convidou-me a colaborar com a festividade do dia da criança. Ao todo 100 livros meus, o "Vovó Dragão" foram adquiridos para presentear as crianças do Clube Paissandu, numa alegre e ensolarada tarde com autógrafos, desenhos e folia! Para as crianças maiores, tive a idéia de chamar a Luciana Savaget, que lançara então o "Operação Resgate em Bagdá" (veja por favor as postagens anteriores). Passamos manhã e tarde toda junto a criançada, para todas escrevíamos um recado especial.


Luciana Savaget e eu.


Pintando a mãozinha do pequeno leitor... (com tinta não tóxica).

segunda-feira, março 20, 2006

O Jogo do Pensamento

Minhas ilustrações para o livro "O Jogo do Pensamento", escrito por Vivina Assis Viana, editado pela Geração Editorial.

Operação Resgate Bagdá

Minha ilustrações para o livro "Operação Resgate em Bagdá" , escrito por Luciana Savaget. Editado pela Nova Fronteira, prêmio Altamente Recomendável da FNLIJ. Doei as imagens para a edição em árabe da ONG Tamer, pelas crianças de áreas de conflito.

Deus

Imagem que pintei para a capa do livro "Deus" de Bia Bedran, editado pela Nova Fronteira. Usei tinta acrílica suvinil, acrílicas diversas, crayon e nanquim, sobre papel triplex. Editado pela Nova Fronteira.

O Jogo do Pensamento









BIB - Bratislava 2005




I'll start here posting some of my images, wich've been selected for BIB 2005- Bratislava Illustration Biennial.
They are from the book "O Jogo do Pensamento", wrote by Vivina Assis, published by Geração Editorial, in Brazil.
I've used mainly liquid watercolors and some photos.
***

Inicio minhas postagens com algumas imagens selecionadas para a BIB 2005 - Bienal de Ilustração de Bratillava. Este é um dos mais importantes eventos no mundo da ilustração, e sinto-me feliz, muito feliz, de ter sido selecionada junto com outros 17 colegas brasileiros. O Brasil foi um dos países com maior número de representantes. O que evidencia a força da ilustração nacional.
O livro é "O Jogo do Pensamento", de Vivina Assis, editado pela Geração Editorial. Utilizei principalmente aquarelas líquidas e fotos.

quarta-feira, março 15, 2006

Arte em Bagda



Duas imagens que fiz, com lápis, para a história. O enredo é muito envolvente, atual e mágico.
Bastante pesquisa e inspiração foram os principais ingredientes.
Quando o texto é bom as imagens brotam
e ganham vida própria - os personagens dominam a mão e direcionam o lápis!
Chega a ser mediúnico... mas não será mesmo?

Operacao Resgate em Bagda, capa aberta



Esta é a capa que criei para o livro "Operação Resgate em Bagadá", a idéia é de urgência, um resgate em meio a destruição que avança. O grafismo remete a uma mistura real-imaginário, onde os personagens escapam das páginas dos livros para "invadir" as ruas de uma Bagdá bombardeada.

Sherazade

Cassia Kiss

As super editoras: Nova Fronteira



Todas devidamente associadas à SIRF!!!

Operacao Resgate Bagda



A festa de lançamento do livro "Operação Resgate em Bagdá - A Batalha do Invisível" ficou mais mágica, quando Cássia Kiss deu voz às palavras de Sherazade! Salvem a fantasia! Unam-se à SIRF (Sociedade Internacional de Resgate da Fantasia).
Estamos em:

http://www.tricotando.com/

Os pequenos budas


Ouvindo histórias, desenhando!
Preciso resgatar o nome da contadora de histórias
que nos acompanhou.
Ela fez um ótimo trabalho,
e ainda faz campanha pró-leitura,
conseguindo doações de livros
para bibliotecas carentes.

Este e o Bruno Pacheco!


Foi uma linda coincidência!
Chamaram-me para trabalhar
com o escritor "zen" Bruno Pacheco.
"Você conhece? ", perguntaram...
Bruno? Jornalista? Minha idade...claro!
Estudamos juntos!
Pois é! Mais legal do que trabalhar em clima "zen"
é poder trabalhar com uma antiga amizade!
Quem diria que nossos caminhos iriam se reencontrar?


Agora só falta reunir o Henrique, o Rodrigo, o Carlos André,
o Victor, a Mariana, a Rossana, a Nanda, a Lara, a Alícia (já encontrei!)...

An elf... but evil.


Daioris is an twisted-mind elf. With very dark intentions.
Meet her pet dragon here.

Caer Ceridwen


Acrilics, on paper. Ceridwen, the sorcerer, the godess.

terça-feira, março 14, 2006

Zen e suas historias


Com o escritor e jornalista Bruno Pacheco, trabalhei como ilustradora no livro "Três Fábulas Budistas para Crianças" e "Histórias para se ver por Outro Lado". Ambos pela editora Record. O lançamento foi na livraria Hartman, do Jardim Botânico. Tivemos muitas crianças artistas (desenhamos bastante), contadora de histórias (por favor, preciso do nome dela para divulgar aqui!), e até minha vovó Mary "Dragão" Millions subiu as escadas da Hartman só para prestigiar nosso trabalho.

sábado, fevereiro 04, 2006

Santa Rita de Cassia

A escola da manhã seguinte era da rede particular. Educandário Santa Rita de Cássia. Um espaço excelente. A arquitetura fazia com que todas as salas tivessem acesso ao pátio central – como nas casas árabes típicas. Separaram um grupo para conversar conosco e logo a estes se juntaram mais crianças, que na realidade haviam decidido trocar o recreio pela oportunidade de conversar conosco.
Não havia estrutura para a criação do livrão, mas isso permitiu uma outra abordagem não menos interessante.
Pudemos conversar com cada um, mais demoradamente, e atender as necessidades de cada neo-autor. Lembro-me de especial de um que era fascinado pela obra de Tolkien, o Senhor dos Anéis. Inspirado pela história e pelas belas imagens (trabalho do ilustrador inglês Alan Lee) ele já havia começado a criar uma série de personagens fantásticos. A arte fantástica era a preferida das crianças. Dragões em primeiro lugar, seguido por pégasos, unicórnios e sereias. Não havia muita distinção de gosto quanto ao tema entre meninos e meninas. Apenas que as meninas se sentiam mais á vontade para pedir pelas sereias e unicórnios (mais associados culturalmente a personalidade feminina). Os grupos etários abordados estavam em plena fase criativa – interessados sobretudo na aventura heróica, com desafios, perigos e criaturas mágicas.
As crianças buscavam fruir ao máximo de nossa presença lá. Novamente respondemos perguntas sobre a criação, execução e publicação de textos e imagens ¬ de LIJ. Anna contou sobre como criou suas histórias, e de como o folclore brasileiro, sempre presente nos “causos”contados por nossos avós, ofereciam um fonte maravilhosa de histórias. Falei de minha vó, inspiração para o livro “Vovó Dragão”, do qual também mostrei as ilustrações. Levei as placas de impressão com as quais produzi as imagens do livro, também escrito por mim, e sempre que possível deixei que as crianças manuseassem as placas de cobre e sentissem a trama do desenho. Aproveitamos para falar um pouco do processo de criação aliado também à produção do livro. Então Anna Cláudia fez uma apresentação completa sobre isso, produzida por ela em Powerpoint.

Lanchamos, continuamos informalmente conversando com os alunos, tiramos fotos e partimos para a última escola. Que seria na realidade, a mais linda das experiências daquela Ciranda em Paraty.

A casa da Folia

Uma breve parada na casa de Gabriela, e fomos para a Casa da Folia.
Ali é o pólo dos eventos que agitam a cidade. Como, por exemplo, a exposição dos quadros de Patrícia Gibrail (www.patriciagibrail.com.br ; patriciagibrail@zipmail.com.br), e dos móveis do arquiteto e decorador Zé Cassio (zecassio@uol.com.br). Ali seria em breve a sede da Folia Gastronômica, que ocuparia a cidade nas próximas semanas. Não muito longe dali, o colega ilustrador Gonzalo Cárcamo (www.carcamo.com.br) ocupava a Casa da Cultura (casadacultura@paratyweb.com.br ; 24 3371 2335, com Milena Moraes) de Paraty com exposição de aquarelas. Junto a esta exposição havia outra: Ymaguaré – Mitos e Lendas Indígenas, da Associação Nhandeva.
Jantamos no Banana da Terra, especializado em frutos do mar e pratos caiçaras. Do atendimento à sobremesa: a mais deliciosa refeição que fizemos… desde quando lembro! Perdoem-me, não estou exagerando, era mesmo de revirar os olhos de prazer e aguar a boca. A chef, Aninha, além de ser a capitã do Folia Gastronômica, é um gênio da culinária. Nada mais a dizer. Melhor voltar lá…
Banana da Terra: R. Dr. Samuel Costa 198, tel. 24 3371 1725

A noite, a tempestade levou a luz embora, e tomamos vinho na Casa da Folia neste tom siena de casarão centenário iluminado por velas e lanternas. Lindo demais.
Já de volta à pousada, dormimos como anjos. Imaginei, ou sonhei, não recordo bem, que as ruas estavam repletas de fantasmas. De alegres bucaneiros, de agitados comerciantes, de sinhás embaralhadas entre segurar seus guarda-chuvas ou erguer os saiões sobre os córregos de rua. Fantasmas que vendiam cocadas, sandálias e araras. Uma fantasmagoria alegre e fascinante.

O Grande Auditorio

Tarde ainda chuvosa, chegamos ao auditório do CEMBRA para a apresentação com os alunos. Juntaram turmas de visitantes com as turmas da própria escola.
Um problema com o som prejudicou o encontro. E num segundo momento optou-se por liberar os adolescentes que estavam dispersos ao debate e manter apenas as turmas de menor idade – estas sim, envolvidas e curiosas. Novamente choveram perguntas e desenhos. E novamente impressionou-me a visão prática das crianças. Elas queriam é produzir também. Portanto não faltavam questões sobre o método criativo de elaboração do livro. Criação de texto e imagem. Como aperfeiçoar a técnica, como apresentar o trabalho ao editor. E, sobretudo, de onde buscar a inspiração.
Sobre a técnica, orientávamos que isso não deveria ser fator limitante, e que aliado ao estudo deveria haver a troca – sempre buscar dividir seus progressos com professores e colegas.
Sobre o mercado, deixamos claro que a insistência é premiada – mais até do que a experiência ou acuidade técnica. O aspirante a autor (seja autor de imagem ou texto) deve ser insistente, participando de eventos, concursos, se apresentando sempre que possível aos editores e colegas de aspirações (isto é, outros escritores e ilustradores). Falamos da AEILIJ como polarizador dos encontros de autores.
E, finalmente, sobre a inspiração, falamos de como ela é eminentemente pessoal. Vem da memória, da família, da cultura e cores locais. E, mesmo quando influenciada por outros trabalhos (é muito comum a criança copiar o trabalho de um autor que admira, como os desenhos animados da TV ou histórias em quadrinhos) que a re-leitura sempre traduzirá um anseio pessoal.
Muitas crianças, instigadas com o que viam ou liam, criavam seus prórpios heróis e heroínas, aventuras com muitos capítulos, poemas visuais… Não faltou quem não quisesse mostrar em seu caderno suas criações. Havia brilho nos olhos das crianças, que percebiam ali um caminho para desenvolver sua arte.

Peixe e Beira Mar

Diante da paisagem esmeralda do mar de Paraty, saboreamos peixe com molho de camarões do Quiosque Internacional (filial do Restaurante da Ondina).