terça-feira, novembro 04, 2014

Regulamentação da profissão de ilustrador

Sempre que vejo alguma iniciativa em regulamentar a profissão de ilustrador, sinto um frio na barriga.
Porque creio que, dependendo da forma que se dê, pode ser um tiro no pé.
Ilustração TEM de ser tratada sempre como o trabalho de texto, composição, música, etc. Ou seja: como Direito Autoral. É aí a nossa melhor possibilidade de reconhecimento e ganho. Então me aparece a pessoa com a seguinte proposta:

"Temos a obrigatoriedade também de fazer um diagnóstico do setor de ilustração em Curitiba, vamos ter que descobrir quem são os profissionais, qual a área de atuação, qual a média salarial, tabela de preços, experiência, premiações, etc"

"Tabela de preços" é a MORTE do direito autoral. É andarmos quilômetros em marcha à ré após décadas batalhando para receber conforme o uso (e não alguma famigerada tabelinha). 
Quanto à média salarial, ok, pois isso se refere apenas a ilustradores presos por contratos de trabalho, e neste contrato, aliás, TEM de estar a cessão do Direito Autoral inclusa e BEM especificada para o que é e como. Tabelar preços também é ILEGAL segundo as normas de mercado brasileira. E todas as vezes que alguém se arrogou a tabelar para ilustradores e afins, a monstruosidade que se viu gerou muito briga e troca de farpas. Essas tabelinhas famigeradas vem sempre causar dor de cabeça, queda de valores, desinformação e retrocesso em conquistas árduamente alcançadas por gente como Graça Lima, Maurício Veneza, Montalvo Machado, a SIB, e outros.

Outro IMENSO problema ao meu ver é quando ele fala "das exigências para ser ilustrador". Isso é um absurdo! Pois quando se trata de expressão e arte não pode haver impedimento a nenhum cidadão, coisa aliás, que está na Constituição como direito à cultura e a se manifestar culturalmente. Não vejo nenhum benefício aí a não ser tentar criar um nicho de mercado como recentemente se tentou obrigar que cartunistas de jornais fossem formados em jornalismo(!?!).

Torço MUITO para que minha carreira e de muitos outros não acabem sendo mais prejudicadas do que ajudadas com iniciativas como esta. 

Você que batalha por algo louvável, por favor, vá com cuidado e procurando conhecer bem as sutilezas do trabalho criativo. 

Imagem : A Aranha e outros bichos – ed. Nova Fronteira
Autora da imagem: Thais Linhares

2 comentários:

Adelson Tavares disse...

Putz, Thais, eu tava vendo isso e fiquei seriamente assustado.

Ate porque estou me mudando pra la e esse tipo de iniciativa pode vir a ser mais um grilhão do que qualquer coisa.

Até penso que a intenção da galera é a melhor, mas como já se viu muitas vezes, intenção boa nem sempre traz bom resultado.

Marcelo Lopes - Ilustrador disse...

Thais, boa tarde!
Acho que fui eu quem te mandou esse email ...rsrsrsr... e concordo com vc em tudo, tabela de preços não tem nada a ver mesmo!
Gostaria de esclarecer, que quando eu disse que precisava fazer um diagnóstico foi uma solicitação regional aqui da Fundação Cultural de Curitiba, eles nos pediram para diagnosticar a profissão aqui em virtude da cadeira que ganhamos no Conselho Municipal de Cultura. Esse diagnóstico, mostraria para a Fundação Cultural como investir nos ilustradores, como criar fomento cultural através de editais de leis de incentivo. Trata-se apenas de um levantamento regional de como anda a ilustração aqui na nossa cidade. Esse diagnóstico não tem nada a ver com a regulamentação que temos objetivado, para ficar bem claro.
Acho o assunto "Regulamentação" muito complexo mesmo e detectei quando começamos a entrar em contato com as várias representatividades nossas (AEILIJ, ABIPRO, SIB, UNIC, AQC, etc) que a regulamentação não é um consenso entre os ilustradores, não são todos a favor, isso me surpreendeu bastante.
Assim tenho buscado as opiniões até dos ilustradores que são contra a regulamentação, pois se for realmente um consenso da classe, não vamos tocar a frente o projeto do texto de regulamentação que começamos aqui em Curitiba.
Respeito muito a opinião de todos os grandes profissionais que entrei em contato, e isso inclui você, por isso peço que desconsidere o email em que cito "tabela de preços" pois foi equivocado, haja visto que eu mesmo não concordo com nenhum tipo de tabela.
E quando a regulamentação aguardo um opinião da AEILIJ ou sua , se realmente ela se faz necessária nesse momento. Pois o mais importante agora é ouvir com responsabilidade todos os ilustradores e suas representatividades para não deixar nenhum dos segmentos da ilustração de fora, e senão for consenso que a regulamentação seja necessária, também não vamos dar andamento aos nossos planos, penso que essa decisão não pode ser de apenas um ilustrador, mas tem que ser nacional e que represente toda uma classe complexa e com vários segmentos.
Queria te tranquilizar no sentido que o meu grande engajamento no momento é descobrir se vale a pena a regulamentação ou não, estamos desenvolvendo um texto base, mas com a participação de vários segmentos da ilustração, através de um hangout semanal. É um texto que ainda será compartilhado com as várias associações, antes de ir adiante.
Houve uma demanda de representação politica aqui em Curitiba para a essa regulamentação, por isso demos andamento nesse projeto, e por isso também pedimos ajuda aos colegas ilustradores cada um em sua especialidade, assim se você não puder ou não quiser participar desse projeto indique alguém da AEILIJ que possa acompanhar, mesmo sendo contrário à essa regulamentação, para que todas as áreas estejam representadas.
Peço desculpas pelo texto longo, mas o assunto é complexo, e peço desculpas novamente por não me expressar bem em nosso primeiro contato via email.
Saiba que acho sua opinião muito importante por isso aproveitei para me explicar melhor por aqui, temos as melhores intenções para a nossa profissão e exatamente por isso que estamos pedindo apoio aos grandes "militantes" da nossa profissão.
Um grande abs"