sexta-feira, junho 25, 2010

Senhor Cunha contra os Autores Malvados!



Lendo algumas das propostas no site do http://www.cultura.gov.br/consultadireitoautoral/consulta/ que está aberto a "discussão da reformulação da Lei Brasileira de Direitos Autorais", vi boas colocações, bem lúcidas, o que deu um destaque maior ainda a um trecho que poderia bem concorrer ao título de "tolice do século", colocado por um senhor cuja atividade eu ignoro.

Diz o homem, que tudo que o autor criar é fruto da cultura que ele absorve, portanto, ele está em dívida com a humanidade, e deveria explorar sua criação apenas por um tempo limitadíssimo. E que os parlamentares deveriam proteger a humanidade destes autores malvados... E ainda citou o caso das mega-empresas que compram patentes de remédios para mantê-los fora de uso.

Ai, se ignorância matasse... Mas espere! Ela mata sim!
Estamos prestes a ver o assassinato da produção cultural do Brasil!

Ok, vamos usar a imaginação e colocar o homem aqui, nesta sala acarpetada e pacientemente esclarecer porque sua tolice é de fato tão tola...

Primeiro:
TUDO que é feito, produzido, consumido, repassado, pensado... é fruto do trabalho anterior de outro, é fruto da cultura onde está inserida.

Assim, um médico só consegue operar porque usa o conhecimento de outro médico antes dele.
Só se planta tomates (olha eles aí de novo!) porque milênios atrás alguém descobriu como arar a terra, porque teu vovô comprou essa terra pra você, e porque alguém inventou a moeda e o sistema econômico...
Enfim, TODOS estamos em débito com TODOS, e foram TODOS que combinaram uma cultura capitalista onde se o autor não receber ele não come!!!

Sacou? Ou preciso "desenhar"?

E... "por tempo limitadíssimo" quer dizer o quê?
Um ano?
Um minuto?
Somente o fato, deste direito ter tempo limitado, já é um ônus que passamos. Outros bens, de natureza diversa, não são tirados das famílias.
Você não devolve o terreno onde criou gado por 75 anos, para que o povo possa usufruir do mesmo.
Olha, até que seria justo...
Que tal devolver a casa onde teu avô nasceu, e passá-la a uma família sem teto?

O volume de obras em domínio público é tão grande que nem em tua vida inteira poderia usufruir de 10% dele.
E o acervo cresce imensamente todos os anos, GRAÇAS aos criadores, tão malvados...

Tenho certeza de que você trabalha pensando no futuro de sua família. Deve estar a acumular algum patrimônio, fruto de seu trabalho honesto e suado. Assim, seus filhos terão a chance que você não teve...

Pois é... eu TAMBÉM.

Só que, diferente de você, meu patrimônio é constituído de DIREITOS AUTORAIS.

Estou cuidadosamente negociando contratos (e não é fácil peitar o mercado e os megamegamega editores nestas questões, mas eu sou corajosa, ainda não vi você aqui pra ajudar...) de formas que eu tenha material para minha aposentadoria (é nós autores não temos esses seus privilégios..), e alguma garantia para os meus filhos, que irão cuidar do que criei depois que eu partir para o pó.

Não sei, nem sou obrigada, a acumular bens de outra forma.

Não teria como me dedicar à arte e ao mesmo tempo a outro meio de subsistência, e ainda conseguir a qualidade e dedicação que ofereço.

Pode parar de querer meter a mão no meu bolso?

Quanto às mega-malvadas que seguram patentes de remédios... isso é propriedade industrial (seu ignorante) e não autoral!!!

Na LEI BRASILEIRA DE DIREITOS AUTORAIS você não pode fazer isso! O autor pode, e deve reclamar, se a editora bloquear sua publicação, e é DEVER do produtor/editor/blablador/etc LEVAR AO PÚBLICO A ARTE!!!

Se você, senhor Cunha, tivesse ao menos LIDO a Lei antes de falar besteira...

Um adendo nada a ver:

Choramingam sobre acesso isso, acesso aquilo... mas o que a turma baixa mesmo é Lady Gaga e Crepúsculo.

Enquanto isso estão a elaborar mudança que vai destruir justamente os pequenos empresários (editores, livreiros, gravadoras independentes) e os autores que não têm papai rico pra se lançar.

O senhor Cunha você detesta os autores, somos tão malvados e egoístas!
Mas a verdade, desconfio, é que não tem é talento... e a inveja lhe consome.

4 comentários:

Sandra Ronca disse...

Thaís, você é 11!
Texto ótimo e pintura idem.
Obs: Também tenho aprendido muito com você.
Beijos e obrigada, :)

Macé Marinho disse...

Adorei seu texto, e acrescento que também tenho aprendido muito com você visitando o seu blog, onde acompanho seus comentários sobre todas essas questões autorais.
Na verdade não sei se gosto mais dos seus desenhos e pinturas ou se dos seus textos, da sua fala. Como fica difícil escolher, fico então com os dois. Bjks

Macé Marinho disse...

Adorei seu texto, e acrescento que também tenho aprendido muito com você visitando o seu blog, onde acompanho seus comentários sobre todas essas questões autorais.
Na verdade não sei se gosto mais dos seus desenhos e pinturas ou se dos seus textos, da sua fala. Como fica difícil escolher, fico então com os dois. Bjks

cris disse...

OLÁ! THAÍS,
ACOMPANHO SEMPRE AS POSTAGENS
DO SEU BLOG.
PARABÉNS!!! BELO TEXTO!
CONTINUO ACHANDO QUE VOCÊ TEM MUITO, MUITO, MUITO A DIZER.
POR SUA CAUSA,COMECEI A ME INTERESSAR E A LER SOBRE
O ASSUNTO: DIREITOS AUTORAIS.
DA SUA FUTURA ALUNA
CRISTINA SÁ