quinta-feira, janeiro 02, 2014

Amar o trabalho deve ser um pecado terrível!

Cactus - ilustradores botânicos, em geral, não recebem por seu trabalho, sabia? Estão na fronteira dos dois campos menos valorizados no Brasil: arte e ciência.


Queria saber em que livro de regras está escrito que para receber salário tem de detestar o próprio emprego. Ou que para poder cobrar pelo seu trabalho é necessário encarar este como um sacrifício, algum tipo de ordálio cristão do dia-a-dia.

Sim. Este é meu desabafo contra todos que consideram que trabalhar com arte é algo "tão bom que não tem preço". Que artistas deveriam agradecer pela "oportunidade de aparecerem", e nem uma moedinha a mais, pois, todos sabemos, eles são todos narcisistas galopantes movidos sobretudo aos vapores do ego.

Amigos e amigas que possuem empregos "de verdade": não somos narcisistas. Mas entendo que a maioria de nós seja. E que alguns até exageram. Mas narcisista não significa papa-vento. Mesmo o mais egóico dos criativos precisa se alimentar e pagamos as mesmas contas que vocês. Vejam só: não recebemos luz, água e internet de graça. Todo mês passamos parte do que ganhamos – com nossa arte – para as contas da Light, Cedae e provedores de rede.

E o fato de amarmos o que fazemos é um bônus conquistado às custas de muita coragem e batalha diária. Fazer o que se gosta não é um pecado pelo qual temos de pagar abrindo mão de nossa remuneração.

Está na constituição federal: todo trabalhador tem direito ao seu rendimento.
Não é seu sorriso ou benevolência, ao oferecer "divulgação" que irá tirar nosso direito constitucional.

Essa brotou no canteiro diante de casa.


E é de revirar o estômago quando alguém vem com aquele papo meloso de que os artistas tem de doar sua arte, invariavelmente em eventos onde o buffet que serve as mesas é pago, o transporte dos equipamentos é pago, a iluminação e aluguéis das peças é pago, o aluguel do espaço é pago e, acima de tudo, o organizador papo-melozo é o mais bem pago de tudo isso!

É de dar triplo nojo quando somos convocados para concursos picaretas onde, se nós formos muito, mas muito bons mesmo, ganharemos o incrível "prêmio" de ter nossa arte utilizada indefinidamente sem que recebamos o valor honesto pela nossa criação. Na realidade esses concursinhos são uma forma pilantra de conseguir arte de graça, colocando os artistas em posição mendicante.

Se fulano não tem grana para pagar um profissional de forma séria e honesta, que então vá ele mendigar uma doação a um artista com tempo livre para ajudar. Inverter tudo, fazendo parecer que está a "ajudar a um jovem talento a se provover" é uma tremenda cara-de-pau!

Que tal abrir mão do seu salário de trabalho "detestável" ante de pedir que eu desista do meu?

Ou seja honesto: diga que está pedindo um favor e, quem sabe, fazemos uma troca.

Sério, uma vez um homem pediu-me para lhe fazer ilustrações para um RPG (Role Playing Game, não a ginástica, ok) com a irrecusável oferta de colocar minha assinatura nas artes – ohhh! Lei do Direitos Autorais manda um olá! Fiz uma contraproposta muito melhor: eu faria as imagens e ele faria um mês de faxina em minha casa, cuidaria de meus filhos (levando e trazendo da escola, servindo almoço), me liberando para fazer o trabalho que pedira.

Um mês de faxina e babysitteragem custava bem menos do que o valor das artes que ele me pedia. Não entendi por que ele recusou.

SQN! Entendi que na cabeça dele meu trabalho é "diversão", logo, não merece ser pago. Agora, queria entender em que categoria se encaixa a galhardice dele.

Este texto foi uma forma de lavar a alma de meus amigos, ilustradores, designers, escritores, músicos, roteiristas, produtores, editores, professores, poetas, quadrinistas, cineastas, etc e tais – que amam tanto o que fazem que às vezes esquecem de cobrar.

PS.Gratidão é a maior virtude. Conheça (e compre, livro é o melhor presente) minhas obras como escritora:

LIVROS DE THAIS LINHARES (aqui você vê todos os títulos onde também sou a escritora, mas são mais de cem como ilustradora).

ONDE COMPRAR VOVÓ DRAGÃO – meu livro mais famoso, premiado e adorado por todas as gerações. Já em nova edição ampliada, impressa e ebook. Suas artes foram selecionadas em 2013 para o BIG – Asia, evento que reúne o melhor do conteúdo mundial para crianças e jovens.

PS.2. Aprofunde seu conhecimento sobre esse espinhoso assunto, lendo também:

EFEITO VALA – para quem se engana achando que cobrando migalhas irá fazer carreira;

VALOR DE ARTE ORIGINAL E DOAÇÕES – porque são poucos os que entendem o valor de um original;

CONTRATO DE AUTOR – porque é assim que se comercializa arte;





3 comentários:

Osmar Ritter Jr disse...

Excelente o Texto.
Parabéns.

Eliane disse...

E o mai triste é quando dizem que vc se divertiu fazendo sua "Arte" então pra que cobrar tão caro. Ouvi de uma "amiga" " vais me cobrar? se eu não tivesse trazido o risco nunca terias pintado um trabalho tão lindo" resultado fiquei com a pintura e perdi uma amiga da onça. rsrsrsrsr Um beijo da Eliane e um feliz 2014.

tatsumaki disse...

Agradeço em nome dos heróis brasileiros, não aqueles que estão no papel, mas que trabalham sobre ele.